Detox: o poder das dietas desintoxicantes

Que tal tomar um banho interno, retirando as impurezas de dentro para fora? Conheça as dietas desintoxicantes que limpam o corpo e são fontes de juventude

POR Reportagem: Júlia Priolli - Edição: MdeMulher

Edição 0091

Tome um banho interno e limpe as impurezas do seu corpo
Ilustração: Bruno Algarve

Todos os dias, ingerimos quantidades abusivas de veneno. Os vilões não são apenas aqueles alimentos que todo mundo condena, como sal, açúcar, álcool e gorduras. Existem mais formas de intoxicação, como o ar das cidades, o cloro da água tratada, os resíduos de produtos, o estresse, as horas maldormidas... Todos esses fatores podem poluir nossos corpos e mentes. Mas basta ingerir os alimentos certos, aqueles que equilibram o que está em excesso no corpo, que os efeitos são perceptíveis a olho nu. Essas são as chamadas dietas curativas ou desintoxicantes, que limpam o organismo por dentro e por fora.


O ideal é ingerir a menor quantidade possível de alimentos nocivos (como os já citados sal, açúcar, álcool e gorduras) e lembrar que cada corpo é um corpo. O grande problema é que mesmo quem come direitinho acaba se intoxicando. Uma pesquisa realizada pelo Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sini tox) em 2008 identificou altas quantidades de agrotóxicos em praticamente todos os alimentos analisados, entre frutas e verduras. Para piorar, hoje, os produtos orgânicos correspondem a somente 1% do faturamento total dos supermercados no Brasil e chegam à mesa de apenas 9% da população.

Limpeza geral

A medicina chinesa e a indiana indicam a alimentação desintoxicante como um hábito cotidiano, assim como meditar e limpar o corpo como um todo. Já aqui, no Ocidente, existem duas formas de dietas que se propõem a equilibrar os organismos: as baseadas em frutas e vegetais crus e as monodietas curativas, que tratam o corpo através de um só alimento. Mas, antes de prosseguir, vale o alerta da nutricionista funcional Daniela Jobst, membro do Instituto de Medicinal Funcional dos Estados Unidos: "A dieta desintoxicante pode ser prejudicial quando as pessoas a adotam e não param mais, por falta de nutrientes. Por isso é fundamental a avaliação de um profissional".

A química Conceição Trucom conta que é importante ficar atento aos riscos das dietas e adotar uma nutrição saudável como estilo de vida, priorizando os alimentos crus. "É preciso nutrir-se da energia da terra, comendo raízes, sementes e fibras que dão sustentação, além das frutas", explica. Conhecida por suas receitas de sucos revigorantes, as dicas de Conceição vêm mudando a vida de muita gente. Como a de Jane Susie, que há três anos adotou a ingestão diária de alimentos crus e se curou de uma série de doenças. "Eu fazia fisioterapia para aliviar dores no cotovelo e com uma semana ingerindo um suco de maçã, ervas, cenoura e girassol, as dores sumiram. Com a mudança de toda minha alimentação, o resto mudou por completo: azia, prisão de ventre, rinite, minha pele ficou muito macia, sem espinhas. Fiquei com o coração mais aberto, sentindo uma alegria interna", diz Jane.

Da boca para dentro

A felicidade a que Jane Susie se refere também é compartilhada pelos praticantes da monodieta curativa do arroz integral. "Ela tem resultados imediatos para quem precisa desinchar e caber num vestido, por exemplo", diz a nutricionista Heloisa Bernardes. Também é eficaz para eliminar toxinas. "Algumas colheradas no primeiro dia, mudando gradativamente para um dia de alimentação exclusiva, são suficientes para tirar o excesso de líquido das células e limpar qualquer organismo".

Essa dieta pede muita mastigação, e há um cuidado especial no preparo do arroz. Ele deve ficar de molho de um dia para o outro, no escuro, para que os grãos germinem. Depois, deve-se cozinhá-lo o mínimo possível, para que a fervura não elimine quase todas as vitaminas e nutrientes. Além disso, é só na hora de comer que o arroz pode ser misturado a outros ingredientes, entre eles ervas ou verduras saborosas, como o agrião.

Essa dieta promove a limpeza do sangue, recupera o metabolismo e restaura as funções orgânicas prejudicadas pela alimentação industrializada, que tem excesso de sal. Heloisa ainda adverte: "Qualquer congelado ou enlatado com longa data de validade tem quantidades abusivas de sódio. Os cubinhos de caldo de carne e frango são os pioreS", diz.

Também vale a pena experimentar a monodieta do inhame, que tem propriedades depurativas e desintoxicantes. Suas funções reguladoras e antiinflamatórias ajudam no tratamento de infecções e uma série de outras doenças. Basta começar a incluir inhame regularmente em todas as refeições, caminhando aos poucos para uma refeição exclusivamente à base de inhame - sem ultrapassar os dez dias -, para depois voltar a alimentação normal.

Entenda os sinais

Algumas comidas curam, outras condenam o metabolismo. Assim como o sal é proibitivo para quem sofre de problemas cardiovasculares e o açúcar é fatal para o diabético, doenças crônicas como a asma vêm se mostrando diretamente relacionadas ao consumo de produtos como leites e derivados. Depois de ficar doente, o próximo passo é consumir remédios para neutralizar a doença, mas, como afirma Conceição Trucom, esse é um caminho perigoso: "Deveríamos enxergar a doença não como uma inimiga que deve ser combatida, mas como uma amiga sincera, que tem coragem de nos dizer que alguma coisa está errada". E, quando ela aparece, é hora de entender quais fatores estão relacionados e fazer uma investigação minuciosa da alimentação.

Por isso Conceição acredita que o corpo precisa de um banho interior diário, cheio de energia viva. Para isso ela recomenda uma gama de sucos que misturam frutas diferentes, além do que ela costuma chamar de atitudes de bom senso. Entre elas, meditação, automassagem e banhos de mar ou rio, para limpar o corpo por inteiro.